Primeiro anticorpo monoclonal é aprovado pela FDA para tratamento do Mieloma Múltiplo


Compartilhe no Facebook

Digite abaixo seu endereço de email para ficar informado sobre novidades, pesquisas clínicas, notícias e novos tratamentos. (Seu e-mail não será divulgado).
Após digitá-lo, clique em ENVIAR

Feito isso, acesse seu e-mail e confirme a mensagem que enviaremos até você



O que causa o mieloma múltiplo?


O que causa o mieloma múltiplo?

As causas do ‎mieloma‬ não são conhecidos ao certo.
A exposição a produtos ‪‎químicos‬ específicos, ‪‎radiação‬, ‪vírus‬, um sistema imunológico enfraquecido e ‪idade‬ são consideradas como fatores de risco. Um fator de risco é algo que pode aumentar a sua chance de desenvolver mieloma.

Diferença entre medula óssea saudável e medula afetada pelo mieloma

Quadro da esquerda: medula óssea saudável.
Na medula óssea saudável, as células B (linfócitos B), um tipo de célula branca de defesa, desenvolvem plasmócitos (também conhecidos como células plasmáticas), responsáveis pela produção de anticorpos na presença de #antígenos invasores no organismo.

Quadro da direita: medula óssea afetada pelo mieloma múltiplo.
No mieloma múltiplo, ocorre uma mutação (dano) no DNA, comprometendo a correta transformação de uma célula B (linfócito B) em plasmócito normal, mas sim em um plasmócito com mutações e danos, chamado de célula do mieloma. As múltiplas células cancerosas deixam um espaço muito menos para as células normais do sangue e produzem grandes quantidades de #proteína M.

 

O que aumenta a suspeita de um possível mieloma?

Sinais:

  • Anemia;
  • Alto nível de proteínas (no sangue e/ou na urina);
  • Lesões ósseas / reabsorção óssea (osteoporose);
  • Níveis elevados de cálcio no sangue (hipercalcemia);
  • Redução da função do sistema imunológico contra infecções;

Sintomas:

  • Fadiga / fraqueza;
  • Má circulação / possível dano renal;
  • Dores ósseas, fratura ou colapso de um osso;
  • Confusão mental;
  • Desidratação;
  • Insuficiência renal;
  • Predisposição de infecções e demora na recuperação de infecções.

 

Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia cria vídeo para conscientizar classe médica

O mieloma múltiplo é uma doença que se origina através dos plasmocitos, células da medula óssea que se proliferam desordenadamente, afetando células como leucócitos, hemácias, e outras células importantes da defesa do organismo. 

Os sintomas do mieloma variam de acordo com o nível em que a doença está, podendo variar de insuficiência renal, anemia, infecções recorrentes e a dor óssea, que se acentua em nível lombar na maioria das vezes.

Os pacientes chegam ao consultório medico informando dor óssea e algum tipo de cansaço. Se o médico não estiver preparado para investigar a causa e suspeitar do mieloma, o paciente pode sofrer um diagnóstico tardio em alguma outra ocasião, trazendo consigo enfraquecimento dos ossos, facilitando espontaneamente fraturas em atividades diárias ou em alguma queda. 

Para confirmar a dor óssea associada ao mieloma, um exame simples deve ser realizado: a eletroforese de proteína sérica, exame barato e que pode diagnosticar precocemente o mieloma múltiplo ou a GMSI (gamopatia monoclonal de significado indeterminado). 

Com o diagnóstico antes do acometimento dos ossos e órgãos, o tratamento pode ser menos tóxico para o paciente, evitando o uso de analgésicos e diálise, no caso dos que tiveram acometimento da função renal.

Saiba mais sobre o mieloma múltiplo, acesse o site da ABRALE (Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia). http://www.abrale.org.br

Assista o video informativo:

Artigo de justificativa sobre o uso do pamidronato no tratamento de suporte do Mieloma Múltiplo

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA
HOSPITAL UNIVERSITÁRIO
COMISSÃO DE FARMÁCIA E TERAPÊUTICA

As principais manifestações clínicas do mieloma múltiplo estão relacionadas à destruição óssea. Esta doença pode levar a fraturas patológicas, compressão medular, hipercalcemia e dor, sendo uma das principais causas de morbidade e mortalidade.

(mais…)