Biópsia de Medula Óssea

Os principais tipos de biópsias e análises realizadas para o mieloma múltiplo são:

  • Biópsia da Medula Óssea

As pessoas com mieloma múltiplo têm células plasmáticas em excesso na medula óssea. O procedimento para investigar a medula óssea é denominado biópsia e aspiração da medula óssea.

A aspiração da medula óssea consiste na inserção de uma agulha no osso pélvico para retirar uma pequena quantidade do líquido da medula óssea. Na biópsia, uma agulha maior é usada para remover uma pequena porção de osso e medula. As amostras coletadas são enviadas para análises, incluindo imunohistoquímico, citometria de fluxo e análises dos cromossomos, como cariótipo e hibridização fluorescente in situ (FISH).

  • Imunohistoquímico

Neste exame, uma parte da amostra de biópsia é tratada com anticorpos especiais que se ligam a moléculas específicas na superfície da célula. Estes anticorpos causam alterações na cor, quando visualizadas sob um microscópio. Este exame pode ser útil na identificação de diferentes tipos de células separados e na detecção de células de mieloma.

  • Citometria de Fluxo

Assim como no imunohistoquímico, este exame analisa certas substâncias na superfície das células para identificar os tipos de células presentes. Mas, este exame permite a avaliação de mais células do que o exame imunohistoquímico.

Neste método, uma amostra de células é tratada com anticorpos especiais que aderem às células somente se determinadas substâncias estão presentes em suas superfícies. Se após passarem por um feixe de laser, essas células contiverem anticorpos ligados a elas, será emitida uma luz, que será medida e analisadas por um computador. Grupos de células podem ser separados e contados por este método.

Este procedimento é o mais utilizado para imunofenotipagem, ou seja, classificação das células de acordo com os antígenos presentes em suas superfícies.

A citometria de fluxo pode determinar se existem células anormais na medula óssea e, se são células de mieloma, de linfoma, de algum outro tipo de câncer ou de uma doença benigna.

  • Citogenética

Nesta técnica é possível avaliar os cromossomos nas células ósseas normais da medula óssea e nas células do mieloma. As células são observadas sob um microscópio para detectar se os cromossomos têm quaisquer translocações, como pode acontecer em alguns casos do mieloma múltiplo. Algumas células do mieloma podem ter excesso, escassez ou outras anormalidades cromossômicas. Encontrar essas alterações pode às vezes prever o prognóstico.

  • Hibridização Fluorescente In Situ

A hibridização fluorescente in situ (FISH) é semelhante ao teste citogenético. O exame utiliza corantes fluorescentes especiais que só se ligam a partes específicas dos cromossomos. Pode detectar a maioria das alterações cromossômicas visualizadas nas análises citogenéticas, bem como outras alterações menores não percebidas pela citogenética padrão.

O teste FISH pode ser usado para procurar por mudanças específicas nos cromossomos, por exemplo, no sangue ou em amostras da medula óssea.

  • Punção Aspirativa por Agulha Fina

A punção aspirativa por agulha fina (PAAF) utiliza uma agulha muito fina e uma seringa comum para retirar uma pequena quantidade de tecido de um tumor ou linfonodo. Este procedimento é geralmente guiado pela tomografia computadorizada. Uma desvantagem desta técnica é que, em alguns casos, a agulha não consegue retirar uma quantidade de tecido suficiente para um diagnóstico definitivo.

  • Biópsia por Agulha Grossa

Esta biópsia é semelhante à PAAF, mas com uma agulha de grosso calibre, que permite que uma amostra maior de tecido seja retirada.



Compartilhe no Facebook

Digite abaixo seu endereço de email para ficar informado sobre novidades, pesquisas clínicas, notícias e novos tratamentos. (Seu e-mail não será divulgado).
Após digitá-lo, clique em ENVIAR

Feito isso, acesse seu e-mail e confirme a mensagem que enviaremos até você



4 comments on “Biópsia de Medula Óssea

  1. gostaria de uma orientação, já tentei de várias maneiras descobrir o que levou minha mãe a óbito. ela simplesmente amanheceu com manchas roxas pelos braços (púrpuras) e na lingua , com um pouco de sangramento pela gengiva..fêz o exame de sangue e diagnosticaram que as plaquetas haviam caido muito. ficou internada no quarto comigo, normal, no dia seguinte quando vieram fazer a transfusão de plaquetas elea passou mal e dai foi para UTI sendo observada por lá.totalmente lúcida, plaquetas aumentando mais , imunidade boa, mas teve uma infecção hospitalar(estava quase tendo alta para voltar para o quarto. foi diagnosticado uma mielodisplasia…vindo a falecer 23 dias depois por CHOQUE SÉPTCO, SEPSE PULMONAR..COMO PODE? ela entrou andando e conversando e sai morta , não conseguimos entender…obrigada!
  2. Nadia esssa doença é ingrata quem me vê jamais vai imaginar que faço tratamento continuo dessa doença a melhor alternativa agora seria uma pesquisa sobre o assunto mas pelo que sei e entendo sua mãe estava tendo uma hemorragia e essas manchas já denotavam sintomas da mesma já aconteceu comigo ou melhor quis começar comigo no ano passado as manchas rochas pegaram minha perna esquerda corri ao médico e por incrivel que pareça não morri porque creio que só morrremos qdo chega a hora mesmo pois o médico me mandou voltar para casa mesmo sabendo que minhas plaquetas estavam com 37mil, então vim rezando e fui direto para o supermercado e tomei Sustagem que cointem várias vitaminas e tomei de 4em 4 horas o que resultou em várias semanas eu tomando e graças a DEUS hoje estou em remissão, não sou médica apenas curiosa no assunto já que possuo esse mal, então sua mãe com certeza teve infecção pulmonar o que ocorreu na morte dela devido a baixa imunidade e infelizmente é o que acontece com todos que tem imunidade baixa ficam sujeitos a qlqr infecção muitas vezes letais.ABÇs entre em meu face.
    1. Olá Vânia!
      Tudo bem?
      Os exames que atendem ao critério de diagnóstico de mieloma são analisados em conjuntos.
      O igA é um exame de imunoglobulinas, por isso, não deve ser analisado isoladamente.
      O melhor a se fazer é a análise da biópsia para somente assim, concluir o diagnóstico e saber se é mieloma ou não. Visto que existem outras doenças que também são causadas pelo aumento de imunoglobulinas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *